Black and White Tumblr Themes

Abaixem as armas!
Porque o que temem é intenso
E vem de súbito






Pouco

O que eu te peço é pouco
Então trate de não pestanejar
Um afago, uma cerveja
d’uma rosa uma petala
um sopro frio nesse quente bar

De dois, pedi um
Só para te facilitar
Hoje já tenho mais pressa
Então trate de não pestanejar

Tudo do que dei        
Queria em troca 
E você sabia

Dei muito
Mas peço pouco
Plantei mais do que deveria






Quote Post Thu, Jun. 07, 2012 7 notes

“My God, these folks don’t know how to love — that’s why they love so easily”


D. H. Lawrence





Parece que um dia ela vai voltar e contar como foi essa sua longa viagem. Falará sobre os lugares que visitou, as pessoas…e de súbito, nos dará um abraço e um beijo na testa e irá embora, dessa vez para sempre. Sua missão já está concluída. Seu legado já enraizado em seus descendentes, mas sua presença, sua presença…

Um último almoço com você, sorrindo, olhando orgulhosa…






Capítulo Final

Então, ele dormiu tarde, sabendo que o Sol não viria tão cedo. O sábio havia lhe contado tempos atrás, mas estava descrente até aquele momento, quando apenas os olhos que unicamente acreditava lhe contaram a verdadeira história. Não poderia imaginar tamanha escuridão. Não era natural. Não poderia ter como origem, as mãos de milhares de homens.

Todos já teriam caido lá pelo fim daquela noite. 






Arrastando-se até o ponto de luz lá no alto
Tão distante,… tão perto as armadilhas
Perto de sucumbir, achava nas memórias o fôlego
O último suspiro veio da saudade. 






Text Post Sat, May. 05, 2012 3 notes

Ás vezes é difícil ficar com os olhos abertos,
porque não consigo te imaginar aqui do meu lado. 






Uma caixinha de fósforo

Tenho estado com uma caixa de fósforo na mão
Pronto para começar um incêndio
Basta as toras estarem montadas
A gasolina cuspida sobre elas
Que a noite será longa e deixará marcas

Cuidado para não se queimar
Cuidado que o fogo já queimou
Queimou “pra daná”
Incandescente brasa, fumegante, cinzenta
Moldou seus pesadelos das noites seguintes

Tá alto esse fogo mas eu vou pular
Estou cheio do negro da noite
Estar perto aquece, ilumina, me faz vivo
Podia buscar a trouxa velha
Não se compara!

Fui levado para longe de onde parti
Caminho de volta não há
Há apenas a chama para preencher esse oco
Fui sendo forjado pelo tempo
Pelas cicatrizes dos ciclos da lua

A dor do cessar do suspiro do fogo todos hão de conhecer
A escuridão todos terão de enfrentar
Nada que uma caixa de fósforo não ajude
Nada que uma alma amiga não acenda
Nada para uma lua tão grande acima de nós

Muito

A vida é …






Link Post Sun, Feb. 26, 2012 3 notes

Moonlight

ididlasttimeichecked:

I really think that you should listen to this song!!!!!

<3




Arranha-céu (Relato metropolitano)

Toma um banho frio
Refresca a alma
Alivia os pesadelos
Blindagem para o amanhecer na polis
Trajeto árduo ao dever 

O Sol queima
Ardente
Menos como Luz mais como Ácido
Polimerizando o estresse
Conurbando as divergências
Tensões
Caos

Chega ao escritório
Ar condicionado
Clima perfeito
Sinta-se no paraíso
Que venha a primeira reunião 






Tempestações condensadas ao redor

Turbilhão impetuoso
Transtornou o caminho
Desordenou os fatos
Acelerou
Subiu
Desceu

Soprou contra o ritmo das mares
Fez do forte o fraco
Do inesperado o previsível
Do certo a eterna dúvida
Do preciso o volátil

Quem aguenta? fica de pé? veleja contra a corrente?
Uma mão estendida é mais do que necessária
Uma prece mais que bem-vinda

Quando o sol clarear tudo
Toda nuvem será apenas sombra da tempestade passada






Sonhosis

Quando o sol raiar estarás pronto
Para refletir tão belo espetáculo?
Ou tudo estará tão fosco quanto ontem
Tão seco como hoje?

Desabrocharás a casca da pedra
Revelarás o magma quente e instintivo
Quem disse, não diz mais
Gritaram a aclamação

Culme do auge da exaltação
A primavera tardará mas vindará
Percebe?

De prontidão dai as mãos
Planos são sonhos
Vontades, prazeres, desejos

"Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro."
"O sonho é a satisfação de que o desejo se realize."
Sigmund Freud






Text Post Thu, Dec. 01, 2011 1 note

Vã consciência

E ele abriu os olhos e quis ver
Ver mais do que os olhos podiam alcançar
Para dentro da alma das pessoas
Dentro dos corações pétreos
Das almas abandonadas
Dos sonhos frígidos

O mundo girava, mas giraria melhor
Se ele entendesse a razão dos movimentos
De onde não nasciam,
Como morreriam,
Quis estudar o cosmo dos pensamentos
Dos instintos à razão
Das paixões à traição

Mas tudo era muito humano
Muito volátil, variável, mudável, inconstante
E acima de tudo, ele queria padrões
Exatos, precisos
Fórmulas coesas, raciocínios sólidos

Quando deu por si
O mundo rolava por sobre sua cabeça
Não existia nada que pudesse fazer
Apenas aguentar a enxaqueca
E das cicatrizes abstrair 
Conhecimento e experiência 






Ask me anything Wed, Nov. 30, 2011
Anonymous Asked:
Existe alguém ou algo que lhe serve de inspiração para os poemas?

Provavelmente o mundo ao meu redor e as reflexões e conclusões que tiro dele.





Ask me anything Wed, Nov. 30, 2011
Anonymous Asked:
Você realmente escreve esses poemas?! apesar do alto nível de depressão na sua alma, eles são muito bons, de verdade...

Eu que escrevi estes poemas, sim. Não há como negar o negativismo neles, mas dá para notar também uma esperança latente em alguns…




1/18 older »